Resumo do texto 6- A seleção do Problema-(Tuckman, 2002,pp.37-57)

A seleção do problema (Tuckman, 2002,pp.37-57)
Texto 6-Módulo 1
Neste capítulo, o autor descreve as características de um problema de investigação, nomeadamente nos casos em que a formulação de um problema requer, pelo menos, a inclusão de duas variáveis relacionadas entre si. Apresenta ainda um conjunto de modelos conceptuais que ajudam a delimitar a amplitude dos problemas de investigação, e finaliza com a explanação de um conjunto de critérios
Essenciais para aplicar na escolha de um problema de investigação.


Neste texto o autor apresenta alguns modelos/esquemas para classificar e selecionar um problema.
A seleção de um problema é uma das fases mais difíceis no processo de investigação científica. Deve possuir as seguintes características:
1- Deve estabelecer uma relação entre duas ou mais variáveis.
O investigador maneja um aspecto mínimo de uma variável para determinar os seus efeitos noutras variáveis.
Um exemplo com 2 variáveis- Que impacto tem as mensagens de alerta sobre os riscos para a saúde no consumo do tabaco.
2- Deve ser formulado de forma clara e sem ambiguidade.
3- Deve ser formulado  em forma de questão:
O problema é melhor formulado em forma de questão. Ex.: - Qual a relação entre QI e rendimento escolar? - Os alunos aprendem mais com um professor diretivo ou não diretivo.
4- Deve ser testável por métodos empíricos- deve ser possível fazer a coleta de dados que respondam à questão formulada
O que deve ser evitado: “ A experiência alargada de um determinado tipo de vida pode melhorar a perspectiva de uma pessoa, sobre a vida?” São 2 variáveis vagas, complexas, difíceis de medir e de utilizar os dados.
5- Não deve representar qualquer atitude moral ou ética.
Deve ser evitado questões sobre ideais e valores: “Todas as filosofias são igualmente inspiradoras?
A DELIMENTAÇÃO DO ÂMBITO DOS PROBLEMAS DE INVESTIGAÇÃO
Há um número infinito de problemas que devem ter a sua amplitude delimitada para que  possam ser estudos. Tuckman apresenta 2 esquemas ilustrativos para classificar e selecionar um problema . Selecionarei somente 1 para exercitar:
Modelo tridimensional para a classificação do problema
Para utilizar o esquema é necessário identificar uma área de interesse na coluna 1 e liga-la ao interesse correspondente nas colunas 2 e 3 e pode começar em qualquer coluna e utilizar somente 2.

Exercitando....(exemplos meus que merecem uma análise mais aprofundada)
Se o meu interesse fosse: “ Avaliação de instruções de desenvolvimento”- uma subcategoria seria “ Aquisição de competências” (coluna 3) que pode ser ligado a “Programa”(coluna 2)...clarificando mais...com um interesse particular “ 2 disciplinas ministradas de formas diferentes” podemos perguntar:
As instruções de desenvolvimento de competências da disciplina “agenciar imóveis” é mais eficaz do que as instruções teóricas da disciplina anterior “Operações Imobiliárias”? 
Não sei??? Críticas?????   ... ou
Se o meu interesse fosse: “Evasão no ensino a distância”-  uma subcategoria seria “ relação professor/aluno” (coluna 2) que pode estar ligado a “professores prospectivos”(coluna 1)...clarificando mais... com um interesse particular  “afetividade na relação tutor-aluno”, podemos perguntar:
“ A evasão de alunos é menor com professores prospectivos que estimulam mais a presença social?”

OS PROBLEMAS DA INVESTIGAÇÃO NA SALA DE AULA

Para Tuckman, as investigações na educação giram em torno de:
Características de aprendizagem e do ensino
-Análise do processo ensino-aprendizagem
- Recursos de sala de aula;
- Respostas a questões gerais como: se um ou outro dos métodos de ensino é mais eficaz sob um dado conjunto de circunstâncias, para melhorar a aprendizagem ou as atitudes.

Componentes  do ensino
- As circunstâncias em que se realiza o ensino, desde s características dos alunos e dos estudantes até os conteúdos.
Resultados obtidos pelos estudantes
- Aspectos relativos à performance dos estudantes em que os efeitos do ensino são avaliados.
A partir destas três categorias para classificar as variáveis podem servir de modelo para gerar problemas de investigação.

Primeira Coluna: Características do ensino – variável de input, temos
- Programa de ensino- Incluiu variáveis não somente de materiais ou de currículo mas também do equipamento e da filosofia ou plano para a gestão do processo de ensino
- Materiais de ensino- publicação impressa, impressos não publicados, multimédia(filmes, tv),tecnologias (computador, programação), passatempo(jogos, simulações) objetos para manioular(instrumentos, máquinas) e objetos para observar (mostruários, exposições).
- Estilo de ensino- professores que centram o ensino no estudante, outros privilegiam a aula expositiva. Alguns são mais calorosos, outros mais formais. Uns centram-se nas tarefas outros dão mais ênfase às dimensões sócio-emocionais. Como fonte de variabilidade temos a filosofia do professor, a forma como o professor faz a gestão da aula e a forma de atuação do professor.
- Situação de aprendizagem- refere-se ao processo de organização da sala de aula, e às formas pelas quais os estudantes se relacionam com as fontes de ensino.
- Atividade de aprendizagem- respostas dos estudantes às questões, o tempo gasto numa determinada atividade de ensino, a quantidade de trabalhos de casa completos.
Segunda coluna - Componentes do ensino- o estudante, o professor e os materiais.
- Características dos estudantes- aptidão, a habilidade, o rendimento escolar anterior, o QI, a progressão na aprendizagem, a idade, o sexo, a personalidade, o estilo de aprendizagem e a classe social.
- Características do professor-  background de informação sobre o professor (anos de experiência de ensino, os graus acadêmicos que possui e a idade), atitudes do professor ( as suas crenças, as suas percepções, suas concepções filosóficas medidas por um teste), e o estilo do professor (comportamento que o professor assume em sala de aula, observados pelos outros em contraste com sua própria autodescrição).
- Materiais de aprendizagem- e os conteúdos  ensinados podem afetar os resultados.
“ A variável que tem um interesse fundamental transforma-se assim na principal característica do ensino , enquanto as variáveis de caráter secundário e terciário, ou seja, os componentes do ensino , permitem que o investigador estenda o âmbito que pretende dar a um estudo, desde uam causa singular a múltiplas causas potenciais.”
Terceira coluna- Resultados dos estudantes-
- Conhecimento e a compreensão específica- inclui fatos que os estudantes aprenderam e a compreensão sobre estes fatos. A aquisição dos fatos pode ser medida por teste de rendimento já publicado ou elaborado pelo professor.
- Conhecimento e compreensão geral-  incluiu variáveis como a inteligência, capacidade acadêmica ou mental geral e a aptidão acadêmica ou escolar. Por se tratar de qualidades mais gerais do que ao rendimento escolar relativo ao conteúdo, são mais difíceis de serem medidas como resultados dos estudantes e muitas vezes se enquadram  mais como componentes de ensino.
- Pensamento e resolução de problema- A resolução de problema é a capacidade do estudante para identificar e descrever soluções relativas a situações- problema que não tenha vivenciado anteriormente. Estas soluções não podem ser produzidas através da memória.
- Atitudes e valores-  atitudes para com os processos de ensino em estudo. Pode assumir a forma de atitudes para com a escola, se os  processos abrangerem, o conjunto da experiência escolar.
- Comportamentos relacionados com a aprendizagem- que ocorrem dentro da sala de aula ou em relação com ela: frequência, o ritmo de aprendizagem ou as ações disciplinares. Como também (menos utilizado) a performance numa situação simulada, o tempo dedicado à aprendizagem. Outros comportamentos são altamente decisivos: autodisciplina, motivação, iniciativa, responsabilização e cooperação. Para medir estes comportamentos é necessário a construção de escalas ou sistemas de codificação.


OUTRA ESTRUTURA DO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO
A partir de 3 categorias pode-se considerar potenciais problemas de investigação conforme quadro abaixo:

Onde as variáveis de situação  referem-se aos fatores presente no meio, circunscrevendo ou definindo a tarefa que se pretende venha a ser executada e as condições sociais da performance.
As variáveis de aptidão  referem-se as características dos indivíduos em estudo e podem variar ao longo de um amplo número de categorias.
O número de comportamentos daí resultante podem ser estudados, sendo estes o resultado conjunto da natureza da situação, das aptidões individuais e das características das pessoas estudadas.
Os modelos estruturados para classificar as variáveis  podem ser úteis para escolher as variáveis a investigar. Além de sugerirem inúmeras variáveis possíveis, indicam também quais das variáveis podem ser fontes sobre as outras.

Este texto é parte integrante- capítulo 2 da Obra Manual de Investigação em Educação, de Tuckman, B.W. E será fonte de inspiração para muitos que estão iniciando no estudo das Metodologias de Investigação Científica no campo da Educação e ser fonte de inspiração também para nossas futuras teses.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? (Günther, 2006)

Carta Ética da Sociedade Portuguesa de Ciências em Educação-(SPCE)- 2014

Reflexão Critica da UA- Metodologia de Investigação I